Companhia dos Aposentados

Tribuna dos Aposentados, Pensionistas e Trabalhadores do Brasil

COLUNA DO APOSENTADO CXCVIII


COLUNA  DO  APOSENTADO  CXCVIII
                                                                                                                laurobotelho.mg@gmail.com
DIÁLOGO  ENTRE  APOSENTADOS

- É verdade que o ex-presidente Lula está processando o Juiz Sérgio Moro?

Sim é verdade. Ele o está processando por “Abuso de Autoridade”. O Lula está muito decepcionado, irritado e nervoso com o nosso Juiz Moro. Ele prendeu todos os seus amigos (Bunlai, Jose Dirceu, Palocci, Marcelo Odebrecht, Renato Duque, Fernando Baiano, Yussef, Paulo Roberto da Costa, Nestor Cerveró., Duda Mendonça, os três tesoureiros do PT  João Vacari Neto, Paulo Ferreira e Delúbio Soares, alem de outros companheiros) acusados de terem roubado e quebrado a nossa empresa Petrobras.

- Você considera o presidente Temer um fraco?

Por duas vezes mostrou sua fraqueza:

Primeiro foi quando perguntaram se seu Governo sofreria algum dano se o ex-presidente Lula fosse preso. Disse que está temeroso caso isso aconteça. É como se não tivéssemos Justiça e polícia para enquadrar baderneiros.
        
Em segundo lugar, recentemente, seu ministro preferido Geddel, tentou fazer uma maracutaia para liberar a construção de um prédio em Salvador – BA, do qual adquirira uma unidade. O Ministro da Cultura Marcelo Calero, mesmo pressionado por Geddel várias vezes, disse não por se tratar de defesa de Patrimônio Histórico. Não conformado, Geddel levou até ao presidente Temer o seu descontentamento com Calero. Temer tentou mudar a cabeça de Calero e não conseguiu. Calero foi demitido (falaram que pediu demissão e Temer aceitou). Perdemos um homem honesto no Governo e nosso presidente ficou mais enfraquecido. Se tivesse demitido Geddel imediatamente quando soube da pressão que exercia sobre Calero, estaria mais fortalecido hoje.

- Qual a profissão mais rendosa no Brasil?

Sem dúvida a de advogado de político ladrão.  
   
A PREVIDÊNCIA NO BRASIL

No ano de 2.015, o resultado da Previdência foi o seguinte:

A – O Regime Geral de Previdência Social (INSS) com 99,6 milhões de envolvidos entre contribuintes e participantes, gerou um déficit de R$ 78,9 bilhões.

   Obs: -  A causa do déficit foi a Aposentadoria Rural cujos participantes não pagaram INSS. Eu considero esse tipo de aposentadoria como Assistência Social e muito justa.
 A Aposentadoria Urbana foi superavitária.

B – O Regime Próprio de Previdência Social destinado aos Servidores Públicos (União, 26 Estados, Distrito Federal e 2.067 Municípios) com 9,6 milhões de envolvidos entre participantes e contribuintes gerou um déficit de R$ 114,3 bilhões.
Estes valores podem ajudar na tão badalada Reforma da Previdência.
Que Jesus continue nos abençoando.

                                                                                                                                   05/12/2016

NEM O NATAL ALIVIA O SOFRIMENTO DO APOSENTADO


     ** NEM O NATAL ALIVIA O SOFRIMENTO DO APOSENTADO **
                        (...Uma amargurada narrativa sob estilo ilustrativo...)


Estamos no derradeiro mês do ano de 2016. A população mais animada já respira a magia das Festas de Natal e do Ano Novo. É realmente fantástico no ser humano a expectativa sublime das tradicionais Festas do Fim de Ano.

O NATAL é o principal evento mundial onde se reverencia o nascimento de Nosso Senhor JESUS CRISTO, que torna a humanidade mais solidária, mais sensível, mais amorosa, mais tolerante e compreensiva, quando todos, com suas finanças reforçadas pelo 13º salário, presenteiam seus familiares e amigos mais chegados, celebrando com euforia o Momento da Sagrada Ceia Natalina.  

Todas os familiares e amigos então se confraternizam, se beijam amorosamente com abraços afetuosos, com desejos recíprocos de boas festas, de muita alegria, de muita paz e muita saúde, tonificando o coração que se liberta momentaneamente dos sentimentos rancorosos e revanchistas, purificando a alma ressentida pela falta rotineira de amor ao próximo.

 No clímax da festa, às 24 h, todos empunhando lindas taças de cristal, com legítima Champanhe Francesa, brindam-se com o tradicional "tim-tim", o ritual toque mágico entre taças, umas nas outras, no momento mais emocionante do NATAL que irradia uma abstrata aura divina no interior de todas as moradias... 
 
Enfim, é uma festa cristã e universal que revigora o ser humano forçando um breve esquecimento das agruras, injustiças, mágoas, incompreensões e obstáculos sempre presentes na vida moderna, agitada, reacendendo as esperanças de todos por dias melhores e mais felizes, com a transição também de um Novo Ano que já se anuncia.
É assim a dura vida, enigmática, incógnita, simbolizada por uma escada imaginária, onde todas as criaturas almejam galgar o degrau de cima, porque, na verdade, cada degrau superior, representa maior prosperidade e com melhor qualidade de vida.
 
Quantos mais degraus o homem puder subir, melhor e mais prazerosa será a sua existência na face da Terra. Este ciclo natural da vida vivido por todos os cidadãos, não é permitido por culpa dos poderes públicos que seja estendido também aos esquecidos velhinhos aposentados e pensionistas, cuja aposentadoria transformou-se num cruel castigo, longe de ser uma merecida recompensa como outrora prometido!

Esses aposentados são relegados a uma expectativa de vida inferior, sem proteção dos mais poderosos, sendo sempre descartados por não constarem mais dos planos dos governos! Não são mais vistos com bons olhos por receberem de aposentadoria mais de um salário mínimo que o Executivo lamenta ter que pagar à todos os aposentados, em todos os meses, sem nada receber em troca. Os governos ficam rubros de raiva! (dão com uma das mãos, mas querem receber um retorno através da outra...)

Desprotegidos os aposentados são entregues a própria sorte, quando, ao contrário, como uma lógica natural de justiça e reconhecimento, deveriam ser cuidadosamente preservados, respeitados, mantendo-se o seu poder aquisitivo até o seu último dia da existência, longe das defasagens arbitrariamente empurradas goela abaixo!!
 
Que neste Natal de 2016 todos que prestam serviços aos Poderes Públicos constituídos, que vivem nababescamente com salários astronômicos, gozando de todas as regalias inimagináveis, contrários a que se conceda um pouquinho mais de justiça aos velhos aposentados, que felizes comemoram com seus familiares contando com uma mesa natalina farta das mais nobres e caras iguarias, abram um pouco mais a sua consciência perante Deus, para agradecer com humildade por toda a fartura recebida, aproveitando a oportunidade propícia para fazer uma íntima confissão de culpa:
 
>>"SENHOR, eu que recebi de TI plenos poderes para criar, modificar, cortar ou anular leis voltadas para o bem estar de toda a população, não permito que o velhinho aposentado que recebe um pouco acima do piso, suba mais um degrau da escada, obrigando-o sim, a retroceder, descendo um degrau a cada novo ano, atual realidade na desdita vida do cidadão aposentado, condenando-o a ser deslocado num futuro bem próximo, para o primeiro degrau da escada! É a involução da sua vida, é a regressão, o que vergonhosamente tenho concordado e colaborado! Tenho me  oposto SENHOR  a ascensão merecida do aposentado, e Te confesso PAI, neste momento em que o remorso intimamente me corrói a consciência, a minha máxima e exclusiva culpa! Quantas vezes votei NÃO, quando deveria votar SIM a favor dos velhinhos...

E a cada novo ano, o indefeso aposentado tem que sujeitar-se a um Natal inferior ao do ano anterior, pela queda gradativa e engrenada à ré para a manutenção do seu poder aquisitivo! Isto, porque na verdade, o seu poder de compra se deteriora ano após ano, não por culpa natural da inflação que afinal lhe é reposta, e sim, por subtrações indevidas feita nos seus  benefícios, reduzindo-o, anualmente, em quantidade de salários mínimos; ...quero ver TODOS os aposentados, futuramente, recebendo apenas um salário mínimo...! 

Tenho concordado SENHOR, embora tenha poderes para discordar, que a Previdência Social utilize insensatamente dois percentuais diferentes na correção de todas as aposentadorias. É uma sórdida discriminação PAI, tratamento e direitos diferenciados na correção dos seus proventos! Afinal, todos pertencem ao mesmo RGPS. E, a tudo isto assisto impassível, fingindo-me de cego, satisfeito com a covarde acomodação que trava a minha atuação como um parlamentar justo e protetor dos mais carentes!!

Realmente, a bem da verdade, longe dos microfones, fora do alcance dos holofotes, das filmadoras e dos flash fotográficos, intimamente, eu e a minha parda consciência, reconheço que o aposentado é o único cidadão que não tem atualizações monetárias, e sim, perdas reais. E a cada novo corte na sua aposentadoria, é mais um degrau da vida que ele desce, acordado pela minha covarde e criminosa omissão!

Reconheço a minha culpa por acomodar-me a essa deslealdade, não procurando de acordo com a minha decência de parlamentar que me é dado por Ti, romper as barreiras desse perverso preconceito para anular essa mesquinha e podre discriminação."<<
 
Deveria ser esta no fundo do seu ego a verdadeira contrição a ser feita perante Deus. Deputados e senadores primeiramente, e depois as demais autoridades dos outros Dois Poderes. Que todos os poderosos covardes e omissos, façam a sua "Confissão"!!

Lembrem-se que justiçando os aposentados, corrigindo com um único percentual a atualização de todas as aposentadorias do RGPS-Setor Urbano, estarão defendendo um ato nobre e humanitário, principalmente considerando a idade avançada destes ex-trabalhadores, que desgastados, humilhados e sofridos, sem condições de retornar ao mercado de trabalho, já estão fazendo por merecer há muito, uma nova  "Carta de Alforria". 
 
  *:-h tchau FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO PARA TODOS OS BRASILEIROS

Almir Papalardo

APOSENTADORIA: TÁBUA DE MORTALIDADE DO IBGE ALTERA CÁLCULO DO FATOR PREVIDENCIÁRIO



Descrição: LegisWeb

APOSENTADORIA: Tábua de mortalidade do IBGE altera cálculo do fator previdenciário

2 dez 2016 - Trabalho / Previdência

O novo Fator Previdenciário, multiplicador utilizado para calcular o valor das aposentadorias por tempo de contribuição, já está em vigor. O índice utilizado na fórmula de cálculo do fator foi alterado pela tábua de mortalidade, divulgada anualmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e está sendo aplicado aos benefícios requeridos a partir desta quinta-feira (1º).
As projeções do IBGE mostram que a expectativa de vida ao nascer cresce a cada ano e subiu de 75,2 anos para 75,5 anos de idade - de 2014 para 2015. Para a população masculina, passou de 71,6 anos para 71,9 anos. Para as mulheres, de 78,8 anos para 79,1 anos.
As informações divulgadas hoje nas Tábuas Completas de Mortalidade do Brasil de 2015 com, as expectativas de vida para as idades exatas até os 80 anos foram utilizadas para determinar o fator previdenciário, no cálculo das aposentadorias do Regime Geral de Previdência Social.
O Fator Previdenciário é utilizado somente no cálculo do valor da aposentadoria por tempo de contribuição. Na aposentadoria por invalidez não há utilização do fator, e, na aposentadoria por idade, a fórmula é utilizada opcionalmente, apenas quando contribui para aumentar o valor do benefício.
Pelas regras da aposentadoria por tempo de contribuição, se o fator for menor do que 1, haverá redução no valor do benefício. Se o fator for maior que 1, haverá acréscimo no valor e, se o fator for igual a 1, não há alteração.
O novo Fator Previdenciário será aplicado daqui por diante apenas nos casos em que o segurado opte por esta forma de cálculo. Para requerer aposentadoria sem incidência do fator, o segurado poderá optar pela regra 85/95 progressiva.
Os benefícios já concedidos (até 30 de novembro passado) não sofrerão qualquer alteração em função da divulgação da nova tábua de expectativa de vida do IBGE. A utilização dos dados do IBGE, como uma das variáveis da fórmula de cálculo do fator, foi determinada pela Lei 9.876, de 1999, quando se criou o mecanismo.
Fonte: MPS

PARA JOAQUIM BARBOSA, O GOVERNO TEMER CORRE O RISCO DE NÃO CHEGAR AO FIM

22 de 276