Companhia dos Aposentados

Tribuna dos Aposentados, Pensionistas e Trabalhadores do Brasil

À BEIRA DE UMA EXPLOSÃO



À beira de uma explosão
Márcio Accioly

Tudo conspira contra o PT, mas, sejamos bem claros: o partido, principalmente através de seu maior símbolo, Lula da Silva, tudo faz para se comprometer e mergulhar na lama e no descrédito. O PT se lambuzou nas tetas do poder e perdeu a noção de limite e de senso de ridículo. Suas principais lideranças amargam condenação por desvio de recursos financeiros públicos, mas não aprenderam nada com a desdita.

Alguma coisa de muito grave está para acontecer. A maré que está se formando começa a fazer ruído e fatalmente irá desaguar em barulho ensurdecedor. Não dá mais para aguentar tanta roubalheira, tanta pouca vergonha, crimes mal explicados (o caso do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, é um deles), enfim, a população quer respostas que governantes e líderes que aí se encontram não são capazes de oferecer. Estamos à deriva e nos aproximando de queda monumental.

No Congresso Nacional, são poucos os que se salvam entre centenas de pilantras e picaretas (Lula afirmou que, à sua época, eram mais de 300) a sugarem os recursos públicos em proveito próprio, enquanto os que pagam impostos vivem à míngua, sem saúde, educação, transporte público nem segurança. É preciso que se dê um basta a tanta desordem! A Petrobras, empresa símbolo do país, está sendo saqueada e destruída por ratazanas graúdas que lá continuam a roer todas as suas pilastras de sustentação.

Os aposentados, a quem o então presidente FHC chamou de “vagabundos”, veem os seus minguados rendimentos se esvaírem nos empréstimos consignados que nada resolvem e no desespero das necessidades básicas diárias nunca atendidas. As Cidades se encontram entupidas de veículos que não têm para onde ir, porque os espaços se mostram estrangulados. Não temos administradores públicos capazes e tudo é feito na base do improviso. Só temos larápios carregando tudo!

No item segurança, faltam presídios bem como uma legislação que retire os menores infratores das ruas, pois o PT não admite a redução da maioridade penal e os menores de 18 anos assassinam com a maior frieza e crueldade, sendo protegidos por defasado ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). ECA! Os professores são mal pagos e despreparados e a maioria das escolas se encontra em ruínas. E o que falar do transporte escolar, com os alunos conduzidos como bois ao matadouro, amontoados?

Nos mais de cinco mil e 500 municípios do país, a maioria dos prefeitos deveria estar presa, respondendo por desvios e furtos dos mais diversos, se houvesse seriedade na aplicação da legislação vigente. Há um acúmulo tão grande de crimes e desmandos que a população brasileira há muito deu início à prática de fazer Justiça com as próprias mãos. A desordem atingiu nível de descontrole. Diariamente, flagram-se cidadãos e infratores sendo assassinado por integrantes de forças policias. Ninguém está seguro.

Neste terrível desastre que ceifou a vida do presidenciável Eduardo Campos, a situação atingiu espécie de limite. Em função do acúmulo de desmandos e da falta de explicações convincentes para prévios acontecimentos e desmandos, os boatos começam a crescer e vão alcançando potencial assustador. Um vídeo postado no Youtube, com fala irresponsável do ex-presidente Lula da Silva, alimenta rumores e desconfianças. O link é este: 



Na República Velha, o assassinato do então presidente da Paraíba, João Pessoa, vitimado pelas balas disparadas por inimigo pessoal, João Dantas, deflagrou a Revolução de 30. O acidente com o avião de Eduardo Campos poderá deflagrar processo imprevisível e muito pior. Existe um quê de insatisfação, a cada instante mais audível, e parece muito próximo de explodir. Lembrai-vos de 1930! O país transmite a impressão de caminhar para desfecho enlouquecedor e totalmente incontrolável.

O LENTO GENOCÍDIO DO PT COM OS APOSENTADOS



JÁ TEMOS A ESTATÍSTICA DOS ELEITORES DE AÉCIO:
A estatística que o GEA fez sobre os votos QUE NÃO IRÃO AO PT:

A)30 milhões de oposições (É A SOMA DE VOTOS DOS PARTIDOS ALIADOS VISÍVEIS – SP, MG, GOIÁS, RGS, CEARÁ, BAHIA, – ESTES NÃO ACEITAM NEM DILMA NEM MARINA)

+B) 6 milhões de militares e seus familiares (É O MÍNIMO DE VOTOS DOS LIGADOS ÀS FFAA)

+C) 30 milhões de afros (metade de 60.000.000 DE ELEITORES em 120 milhões) que não engolem as cotas por serem discriminantes racistas (Eles sabem que Dilma e Marina manterão essa discriminação pensando que estão dividindo opositores)

D) + 10 MILHÕES (OU MAIS) = 40% dos aposentados e suas famílias (Eles sabem que o plano das duas múmias e seus asseclas é oprimir mais ainda)
Isto soma no mínimo 76 milhões que é bem mais do que 50% do eleitorado.

PORTANTO, SE TEMOS POLICIAMENTO ELEITORAL, QUALQUER RESULTADO DIFERENTE DISSO É PROVA SUFICIENTE DO VOTO PIRATEADO NA URNA FAJUTA. E, PORTANTO ESTARÁ OCORRENDO ROUBO ELETRÔNICO e terão que empossar o esbulhado.

AÍ JÁ É TRABALHO PRA GENTE "GRANDE" COM COSTADOS DUROS... FFAA.


 VALEU, DILMA!

5% de correção - que não corrige sequer a inflação do
período - para quem ganha um pouco mais que o salário
mínimo é uma tentativa de genocídio para com os aposentados... 

Isso la é modo de tratar quem trabalhou e contribuiu a vida inteira, e ainda dá 10% de aumento para o 'bolsa família', para quem NÃO TRABALHA E NÃO CONTRIBUI, apenas para comprar o voto dessa gente?


Somos NOVE MILHÕES de votos (sem contar com nossos familiares) que voce não pode comprar e, certamente, vamos fazer a diferença para que voce e seu maldito PT
saiam do poder... A menos que essas urnas eletronicas

estejam de fato 'batizadas'...


QUEM BATE EM MUITOS ESQUECE EM QUEM BATEU.
QUEM APANHA JAMAIS ESQUECE DE QUEM APANHOU !!!

INCENTIVE SEUS AMIGOS APOSENTADOS A DIVULGAR!

Quem ainda não se aposentou, deve ter  pelo menos um aposentado na família.

PLANO DE SAÚDE APOS 60 ANOS

DO JORNAL AGRISÊNIOR NOTÍCIAS

Como sou uma das mais velhas de nossa
turma e a maioria entra nos 60 este ano,
gostaria de alertá-los para o que aconteceu
comigo em novembro último.

Sou assegurada da Amil em um plano mais ou
menos alto (opções plus) faz mais de 10 anos.
No início de novembro recebi um novo carnê
com o valor de minha mensalidade
indevidamente reajustado por ter chegado aos
60. O valor que era de R$ 639,00 passou a
R$ 1.787,00.
Indignada resolvi entrar na justiça contra a
Amil. Procurei um advogado especialista em
pequenas causas e levei meu contrato e
carnês para saber como deveria agir.
O meu contrato previa um aumento de 165 %
quando eu chegasse aos 60. Porém, meu
advogado esclareceu que embora eu tivesse
assinado este contrato, existe um "Estatuto do
Idoso" que prevalece sobre o contrato, que
não permite nenhum aumento depois dos 59
anos.
Tudo que eles poderiam cobrar seria um
reajuste de custos anual de acordo com a lei.
Baseado nisso, e sem deixar de pagar as
prestações já aumentadas (paguei 2 meses) o
advogado entrou com uma petição contra o
aumento e pedindo de volta, EM DOBRO,
tudo que eu pagasse a mais, além, do que
fosse legalmente decidido.
Logo na primeira audiência a Amil foi citada
para mandar um novo carnê com o valor
antigo até a solução do caso.
Finalmente saiu o resultado e eu ganhei a
causa.
Fui 2 vezes ao Fórum, onde o advogado da
Amil disse que não haveria acordo e 2 meses
depois saiu o veredicto.

Portanto, não aceite os aumentos
passivamente, é um abuso!

“A devolução em dobro do que paguei, eles
estão esperneando para pagar, mas vão
acabar tendo de fazê-lo e minha mensalidade
passou para R$ 682,00 pelo menos até ao
final do ano, quando deve sofrer mais um
pequeno reajuste”

Esqueci de dizer que como somos
considerados idosos, temos prioridade na
marcação das audiências, o que fez o
desenrolar mais rápido que o normal.

Não se deixem enganar, nós temos nossos
direitos.

Fico imaginando quantas pessoas que por
desconhecerem este Estatuto pararam de
pagar e abandonaram seus seguros de
saúde.

Enviado por (Bruno Pessanha)

JUSTIÇA PARA APOSENTADOS BRASILEIROS


almir papalardo



para dep.rubensbueno, aecio.neves, aloysionunes.f., tucano

Prezado Deputado Senhor Rubens Bueno - PPS/PR

Somente hoje tomei conhecimento do seu brilhante pronunciamento feito no dia 01/07/2014, denunciando a covardia feita aos aposentados do Aerus, pedindo providências urgentes para solucionar o impasse. Parabenizo-o e o admiro pela coragem.

Mesmo tardiamente, não posso deixar de aplaudí-lo, porque é de parlamentares conforme vossa excelência, que o Brasil precisa, notadamente os indefesos aposentados, a classe mais descartada e humilhada da sociedade. Desprezam-nos!

Não sou aposentado do Aerus. Sou aposentado do RGPS-Setor Urbano, que também vêm sofrendo massacres do governo federal. Nossa desdita começou na era FHC, quando inconsequentemente desvincularam o nosso reajuste do reajuste do salário mínimo, além de criarem a maldito Fator Previdenciário. Lula e Dilma ao invés de corrigir a deslealdade contra idosos, deu seguimento de modo mais perverso ainda, tendo Dilma nos torpedeado afirmando que se eleita não vai acabar com o Fator Previdenciário. Afinal, somos cidadãos brasileiros ou não? Será que nos consideram peso morto porque são obrigados a nos sustentar sem receber mais aqueles cobiçados benefícios feitos ao INSS durante 35 anos ou mais? É uma deslealdade infame! 

As nossas perdas, que se iniciaram no ano de 1998, já atingiram até 2014, o percentual de 77,60%, contrariando a Constituição Federal de 1988 e o Estatuto do Idoso de 2003, que proibiam defasagens nas aposentadorias. Nosso futuro está tenebroso! Se nada for feito para sanar esta discriminação e preconceito contra nos, todos os aposentados da iniciativa privada, dentro de mais algum tempo, estarão todos nivelados apenas a 01 (um) salário mínimo, não valendo mais nada os valores variados das contribuições de cada aposentado, que era calculado sempre conforme o salário recebido. Derrubaram, acintosamente, a reciprocidade!! Isonomia, nem pensar...

Temos três projetos que nos restituem a dignidade, os Pls. 01/07- Percentual do SM para TODOS os aposentados, 3299/08 - Fim do Fator Previdenciário e 4434/08 - Recuperação das Perdas (em 05 anos), até atingirmos o mesmo número de salários mínimos que tínhamos no inicio da aposentadoria. Depois de passarem pelo Senado Federal com aprovação unânime, estão presos há 06 anos nas gavetas da Câmara dos Deputados, sabotados para não irem às pautas de votação!

Esperam os aposentados brasileiros que vossa excelência se torne um novo aliado, juntando-se aos poucos parlamentares que demonstram alguma sensibilidade pelos previdenciários, defendendo-nos com a mesma altivez demonstrada naquele inflamado
e justíssimo pronunciamento a favor do Aerus.

Um forte abraço de um indignado aposentado.

APOSENTADOS


Senhores da COBAP

Mais uma vez o chamado pt - partido dos trabalhadores (letras minúsculas) vai deixar os aposentados que recebem acima de 01 salário mínimo a ver navios.

Pergunto, os senhores ainda continuam acreditando nesse Partido ???

 Por que o senhores não se manifestam nos meios de comunicação pedindo aos aposentados que não votem em quem não ajuda aposentado ????

Qual projeto foi aprovado que recuperasse nossa perda??

Quem sempre contribuiu recebe um reajuste ridículo e quem nunca contribuiu recebe um reajuste quase que o dobro (trabalhador rural e LOAS) que deveriam ter seus benefícios pagos com dinheiro do Tesouro Nacional e não com dinheiro da Previdência Social.

Sds

Rubens Bragança
Trabalhei 40 anos e não 4 anos.

PASSAGENS AÉREAS COM DESCONTO PARA IDOSOS



Você Está Em: Passagens Aéreas Promocionais 2013-2014 - Pacotes em Promoção > passagens em promoçoes > Passagem Aérea com Desconto Para Idoso
Passagens aéreas para idosos Passagem Aérea com Desconto Para Idoso
Para você que é idoso hoje veio ao lugar certo, vamos falar sobre as passagens aéreas com desconto para idosos, que para quem ainda não sabe foi firmado por lei que todos os idosos têm o direito de possuir descontos em suas passagens aéreas.
A lei ainda obriga que qualquer empresa que trabalhe com passagens aéreas para idosos dêem desconto de aproximadamente 50%, estes 50% devem ser destinados a todas as pessoas que possuam mais de 60 anos, a lei ainda exige que todas as companhias deixem reservados pelo menos 5% de vagas para idosos, esta porcentagem deve ser em cada vôo.

Para obter este benefício é necessário que você adquira a sua passagem aérea com uma antecedência de 72 horas, são as diversas empresas aéreas que não comunicam aos passageiros que possuem mais de 60 anos sobre este desconto, acabando assim eles pagando o valor total da passagem, como sabemos os preços de passagens aéreas para idosos possui um valor já bem acessível para todos que pretendem viajar de avião, mais mesmo assim é direito de todos os idosos terem desconto em suas passagens aéreas.

Todas as vezes que você for comprar a sua passagem peça o seu direito, por isso é sempre importante na hora de você comprar a sua passagem você deve comunicar sim que deseja o desconto na passagem aérea, por isso é muito importante que você compre a sua passagem aérea com um prazo de até 72 horas do seu vôo, assim a empresa pode colocar no sistema o seu pedido e assim gerar o desconto.

Vale sempre lembrar também que para você pedir o seu beneficio não basta apenas dizer que possui mais de 60 anos, é preciso sempre ter em mãos os seus documentos, pois, são eles que afirmam que você possui mais de 60 anos, muitas pessoas ainda procuram desconto de passagens de ônibus para idosos sendo que por lei com os transportes públicos os idosos podem viajar de uma forma gratuita.
Por isso corra sempre atrás dos seus direitos e peça sempre os seus descontos na hora de viajar, assim você viaja com muita tranqüilidade é claro com muito mais comodidade e com uma economia em seu bolso.



GOVERNO ANUNCIA AUMENTO DO MÍNIMO E IGNORA APOSENTADORIAS


 
 

Aposentados 29/8/2014 15:33:31 » Por Livia Rospantini

Governo anuncia aumento do mínimo e ignora aposentadorias

RSS


                  Superior à previsão inicial de R$ 779, 79, divulgada em abril, o salário mínimo deverá ser de R$ 788,06 a partir de 1º de janeiro de 2015, segundo Projeto de Lei Orçamentária, elaborado pelo governo e anunciado na última quinta-feira, 28, pela ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, que fez o anúncio após apresentar o projeto ao presidente do Senado, Rennan Calheiros.
 
                O reajuste do salário mínimo é a soma da inflação com o crescimento do País dois anos antes e, apesar da exaustiva luta da COBAP e todo movimento em prol dos aposentados, o reajuste das aposentadorias acima do mínimo ainda estão previstas apenas com a inflação. 

                A proposta ainda passará pela aprovação da Câmara e do Senado e poderá sofrer alterações. O Executivo, que ainda não votou a Lei de Diretrizes Orçamentárias devido ao recesso branco pré-eleitoral, deverá encaminhar proposta até o dia 31 de agosto e o Orçamento, segundo o presidente do Senado, deverá ser votado até o final do ano.
 
                A COBAP e o movimento UNA-SE estão em mobilização nacional pela aprovação ainda este ano do Projeto de Lei 4434/08, que trata do reajuste das aposentadorias e pensões e pela PEC 555, que extingue gradativamente a cobrança da contribuição previdenciária de servidores aposentados e de pensionistas. 

OS FAVORITOS PARA AS ELEIÇÕES DE 2014

Almir Papalardo

Parece-nos que após a realização do primeiro debate entre os candidatos presidenciáveis feito na Band, ratificou apenas o diagnóstico que já se tinha delineado, ou seja, que serão mesmo os três mais fortes candidatos que deterão as maiores pontuações de votos, provocando assim, naturalmente, a necessidade do segundo turno.

São eles: Dilma Rousseff–PT (reeleição), Marina Silva–PSD e Aécio Neves–PSDB. Pelo andar da carruagem, serão mesmo estes três que receberão o maior número de votos válidos. Permanece porém uma grande incógnita, apontar quem será alijado da disputa no segundo turno, evidentemente, o candidato que ficar na terceira colocação.

Tudo nos faz crer que será este mesmo o destino da eleição de outubro. A menos que no prosseguimento das campanhas e nos novos debates entre eles nestes 37 dias que ainda faltam para a eleição, apareça um outro candidato surpresa, revolucionando um novo e inédito tipo de campanha (dirigida para os aposentados por exemplo), diferente das anteriores, cansativas, embromadoras, para muitos eleitores até nojentas, porque não aguentam mais assistirem a um sucessório de mentiras e promessas vans, impossíveis de serem cumpridas, porque a ambição é apenas pelo cargo que lhes darão uma vida de nababo, quando, se eleitos, esquecerão das promessas feitas aos eleitores, e ao cumprimento às determinações da Constituição Federal, de que deverão legislar somente para a população brasileira.

Candidata DILMA ROUSSEFF: Esta candidata está disputando a reeleição. Apesar dos resultados da sua atuação não serem bons para a maioria dos brasileiros, devemos respeitá-la, porque, apesar da reprovação de milhões de eleitores, ainda detém um percentual muito grande de admiradores fanáticos, dependentes das várias bolsas benesses caça votos, oferecidas pelo governo petista. Conta também com um grande número de eleitores, que mesmo detestando-a, preferem desperdiçar seus votos, achando que nenhum político é merecedor dele, acreditando na tola existência de candidatos perfeitos e sem pecados!

Candidata MARINA SILVA: Esta candidata, vem comendo o mingau pelas beiradas, conquistando a simpatia de milhões de eleitores, ansiosos por uma mudança no comando da nação. Em 2010 ela foi a terceira candidata mais votada, não sendo nenhuma surpresa que possa vir agora repetir a mesma performance. Ainda mais pelo passamento de Eduardo Campos, de quem ela naturalmente captará os votos que a ele seriam dirigidos.

Candidato AÉCIO NEVES: Também tem boa chance de sair-se vitorioso. A maioria da população quer uma mudança radical nesta atual governança do Brasil, insatisfeita e desiludida com a gestão de Dilma. Se ele priorizar nas suas campanhas as reclamações dos aposentados, comprometendo-se mais favoravelmente e com insistência ao anseio dessa categoria de esquecidos e descartados, poderá sim, conquistar também um grande percentual daqueles 36 milhões de eleitores que em 2010 jogaram seus votos na lixeira, por não confiarem mais na nossa política e principalmente nos candidatos indiferentes a situação triste e desprotegida dos segurados da RGPS-Setor Urbano, para quem, sempre, viram-lhes as costas!

A contra gosto podemos afirmar que nenhum candidato até o momento prioriza verdadeiramente os aposentados da iniciativa privada, sendo raras suas promessas de olhar com mais sensibilidade pelas nossas causas, o que é feito discretamente, sem convicção, porque ninguém quer  se comprometer de verdade com um segmento de trabalhadores que não dá mais o retorno que todo governo deseja.

 É uma pena, porque ignoram uma campanha inovadora, surpreendente, que despertaria a atenção e aprovação de todo trabalhador e de toda a sociedade enfim. Faltam-lhe “olhos para ver.” Preferem, em todas as eleições, repetir as mesmas promessas, esquecendo-se que o foco no aposentado é algo necessário e urgente, porque visa também os cidadãos idosos e necessitados, justamente como determina o Estatuto do Idoso. E além de tudo, estão há dezesseis anos sem receberem um agrado, o que não seria nenhum favorecimento e sim um direito conquistado honestamente. Vamos respeitar mais os velhos...

REFLEÇÃO DE UM APOSENTADO

Antonio Carlos

    Meus grandes amigos virtuais. Nós aposentados e pensionistas, por incrível que pareça, só temos um problema. E este problema é antigo e muito grave. E qual é este problema? A muitos anos estou batendo nesta tecla, e fazem ouvidos de mercador. Falta-nos um verdadeiro líder que tenha um comando efetivo de alguns milhões de aposentados em suas mãos. A doze anos nossa classe está fazendo a mesma coisa sem resultado algum. Sem saber mais o que fazerem, esqueceram os políticos e foram se agarrar na batina do papa.  Eu fui o único no Brasil, que falei que isto era besteira, o papa jamais se meteria em nossos problemas. A última vez que estive com o senador Paulo Paim, ele falou que precisávamos bater tambores mais fortes aqui fora. Eu respondi para ele, que nossos tambores se rasgaram de tanto serem batidos, e o congresso não bate nem tamborim para nos ajudar. Certa vez, escrevi dizendo que tínhamos uma grande padaria, muito fermento, muita farinha, e morríamos de fome, pois não tínhamos quem nos fizesse o pão. Também já cansei de dizer, que político não tem medo de passeata, de vigília, de COBAP, de OAB e nem da ONU. Político, só tem medo de não ser eleito ou reeleito. Quando nossos dirigentes tiverem em suas mãos milhões de votos dos aposentados, nunca mais precisaremos sair de casa para nada. Basta nosso representante falar em rede nacional o que devemos fazer, que o congresso sofrerá o maior abalo de sua história. Mas para isto, é preciso que desgrudem o bumbum de Brasília, e se façam conhecer por nossa classe, pois a grande maioria de nossa classe, nunca ouviram falar de COBAP, quanto mais de seu presidente. Enquanto isto não acontecer, vamos continuar enxugando gelo, os políticos se reelegendo e nossos salários crescendo para baixo. E volto a repetir, fator previdenciário, não é assunto para aposentado resolver, e sim para os presidentes dos sindicatos nacionais que não tocam no assunto, porque estão na gaveta deste governo corrupto. Os sindicatos da ativa, nunca fizeram nada para ajudar nossa classe, não entendo porque aposentado se preocupa com quem tem força para serem ajudados e não fazem nada. Nós precisamos com urgência, é do PL 01 que sangra nossos salários a cada ano, para então se conquistado, partirmos para conseguir o PLS 58 / 4434.

     Abraço forte para vocês. A.C.C.

PELO FIM DO FATOR PREVIDENCIÁRIO - ARTIGO DO SENADOR PAULO PAIM




Senhora Júlia,

Registramos seu contato.
Apesar da declaração da Presidenta, o Senador continua defendendo suas posições, dentre elas, a questão do fim do fator.
Saudações respeitosas,

Mª Aparecida Santos
Assessoria de Demandas



BRASIL 247
Pelo fim do fator previdenciário – Artigo – Senador Paulo Paim

Independentemente de greis partidárias, se governo ou oposição, é necessário que os presidenciáveis se manifestem e assumam publicamente o fim do fator previdenciário. Essa maldita fórmula retira, no ato da aposentadoria, até 50% do salário da mulher e até 45% do salário do homem. Uma crueldade, uma maldade, uma afronta a quem trabalhou e ajudou no desenvolvimento do país. 

Em 2008, após longa discussão iniciada em 2003, aprovamos no Senado Federal, por unanimidade, o fim do fator previdenciário. É claro que fizemos, com os movimentos sociais, enorme pressão. Quem não se lembra das vigílias que adentraram as madrugadas com transmissão ao vivo pela TV Senado?
O projeto, desde então, está na Câmara, esperando votação dos deputados. Infelizmente, lá se vão quase seis anos. Seria fundamental que a sociedade, que cada cidadão, fizesse pressão junto ao seu deputado para que se vote de uma vez o fim dessa fórmula, que considero a maior inimiga dos trabalhadores brasileiros. O cidadão tem toda legitimidade para fazer isso. As redes sociais estão aí.
Outra coisa: nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o teto é de R$ 30 mil, a aposentadoria é integral e não existe fator previdenciário. Por que, então, no Regime Geral da Previdência (RGPS), no qual o teto é de R$ 4.159, o fator é aplicado? Como se explica uma coisa dessas?

Já a alegação de que não existem recursos para promover o fim do fator não procede, pois a cada ano milhões de reais saem oficialmente dos cofres da Seguridade Social para serem aplicados em outros fins. Vários estudos comprovam isso. Um deles é o da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip). Ele é baseado no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) e é certeiro em relação ao assunto: não há deficit. Pelo contrário. Desde 2009, o superavit tem ficado em torno de R$ 50 bilhões. Em 2013, foi de R$ 80 bilhões; 2012, R$ 78 bilhões; 2011, R$ 77 bilhões; 2010, R$ 56 bilhões.

Sempre digo que alguns setores da sociedade ainda estão na onda do "gosto de levar vantagem em tudo". Os operadores do "deficit" levam em conta apenas a arrecadação do Regime Geral da Previdência (RGPS) e as despesas com benefícios. Esquecem-se, intencionalmente, que a Seguridade Social é integrada pela Previdência, com saúde e assistência social.

Para esse conjunto da seguridade, há financiamento próprio, conforme a Constituição de 1988, por meio de impostos e taxas, como a Cofins, a CSLL, percentual de receitas de jogos e loterias, entre outros, tendo como base o Orçamento da União. Ainda conforme a Anfip, os resultados da seguridade poderiam ser ainda melhores se não fosse a sonegação e a inadimplência. A sonegação foi de R$ 15 bilhões em 2013; R$ 13,6 bilhões em 2012 e R$ 13,1 bilhões em 2011. Ainda segundo a Anfip, esses números podem ser até 10 vezes maiores. Isso, sem contar a inadimplência: R$ 34,9 bilhões.

A quem interessa a mentira do "rombo" nas contas da seguridade? A quem interessa o desgaste da imagem da Previdência? Interesses? E por que o Congresso posterga a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 24/2003, que determina que o dinheiro da seguridade não pode ser desviado para outros fins? Diante de tudo isso, acredito em um caminho: a mobilização das ruas.

Além do fim do fator previdenciário, os presidenciáveis deveriam colocar outras pautas em discussão, como a valorização das aposentadorias e pensões, a redução da jornada de trabalho sem redução salarial, a desaposentadoria, entre outras. Decididamente, essa história precisa de um ponto final. Passou da hora de a Câmara e o governo federal pararem com essa lenga-lenga, esse empurra pra lá, empurra pra cá. Todos reconhecem que ele é perverso e desonesto, mas nada fazem para mudá-lo.

Para terminar, lembro que o famigerado fator previdenciário foi criado em 1999, com forte resistência no Congresso Nacional. Então, o que causa espanto é que ele continua sendo mantido até hoje. Durma-se com um barulho desses. O eleitor brasileiro está cansado e já está dando seu recado nas ruas: "Querem o meu voto? Acabem com o fator previdenciário".




 Prezado Senador Paulo Paim
 
 
A falta de esperança dos contribuintes do INSS, em relaçao ao fator previdenciario, ficou comprovado através da declaraçao abaixo.
 
 
Já que o governo  retiram os direitos dos trabalhadores  e desrepeita as Leis e a Constituiçao,  nós trabalhadores também temos o direitos de não respeitar as Leis, já que todos são iguais peranate a Lei, artigo 5. da Constituiçao Federal de 1988.
 
Eu sempre falei que o Congresso Nacional esta a disposiçao do executivo e não para resolver os assuntos da sociedade como um todo.
 
Percebe-se que todos os aposentados  do INSS que recebem acima do  salário minino, estão totalmente insatisfeitos com o governo que  está no poder há 12 anos.
 
Todas estas noticias serão divulgadas ao 4 cantos do Brasil.
 
Jesus disse; " Maldito o homem que confia no homem".
 
Cordiais Saudações
 
Julia Cruz

PEC GARANTE APOSENTADORIA COMPULSÓRIA COM PROVENTOS INTEGRAIS


 
Veja que maravilha, para os servidores públicos tudo, para os trabalhadores aposentados da iniciativa privada, nada, querem é reduzir a quase zero o valor dos beneficios.
 
 
Um aposentado do INSS que paga sobre o teto máximo e viver até os 80 anos, vai receber apenas um salario minimo, pois já perde até 50% no ato da aposentadoria.
 
Enquanto isso, os projetos que poderiam mudar estas injustiças, continuam nas gavetas da Câmara, e  a dona Dilma já  declarou que se reeleita, vai manter  maldito  Fator previdenciario.
.
 
Até quando?
 
Julia
 
 
26/08/2014 - 12h26

PEC garante aposentadoria compulsória com proventos integrais

Arquivo/Beto Oliveira
Andreia Zito
Andreia Zito: muitos servidores têm grandes prejuízos com a aposentadoria compulsória aos 70 anos.
A Câmara dos Deputados analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/14, que cria nova regra para garantir aposentadoria ao servidor público com proventos integrais aos 70 anos de idade. A proposta foi apresentada pela deputada Andreia Zito (PSDB-RJ) e outros.
Hoje, de acordo com a Constituição, o servidor deve aposentar-se, compulsoriamente, aos 70 anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição.
Os servidores também podem se aposentar voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo de 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, observadas as seguintes condições:
- 60 anos de idade e 35 de contribuição, se homem, e 55 anos de idade e 30 de contribuição, se mulher, com proventos integrais;
- 65 anos de idade, se homem, e 60 anos de idade, se mulher, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição.
Conforme a autora da PEC, hoje, ao completar 70 anos de idade, muitos servidores não são alertados pelas autoridades do seu órgão de origem que sua aposentadoria, embora compulsória, será calculada de forma proporcional ao tempo de contribuição pela média das maiores remunerações. Segundo Andreia Zito, muitas vezes isso “gera grande prejuízo financeiro ao servidor que se encontra nessa situação”.
Pela nova regra proposta, se o servidor tiver cumprido todos os requisitos legais para a obtenção de aposentadoria voluntária com proventos integrais, receberá o mesmo valor no caso de aposentadoria compulsória.
Tramitação
A admissibilidade da proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se for aprovada, ela será analisada por comissão especial e pelo Plenário, onde é exigida votação em dois turnos, com quórum qualificado.
Saiba mais sobre a tramitação de PECs.

Lucio Cavadas

Anexos16:32 (Há 5 horas)


para Contabil, Deputado, dep, DEP, Deputado, Paulo
   
Traduzir mensagem
Desativar para: português
E dá para acreditar ainda em político?
Para que trabalhar,estudar, enfim queimar neurônios, se ficar de flozô  se vive melhor do que cansar a beleza”?
Adianta ralar por 43 anos em área de risco, dar aulas em cursos técnicos a noite, para ao se aposentar e tentar ter uma velhice tranquila com sua esposa, para depois ficar mendigando um aumento digno, que é uma obrigação dos governante, sim dos governantes, pois se tivéssemos colocado todas estas economias em uma aplicação, teríamos por baixo um salário maior do que é pago hoje em dia para os trabalhadores aposentados, verdadeiras esmolas e ainda nos gozam, dizendo que se dessem um aumento melhor arrombaríamos as finanças da Previdência, pode?
Mas será que sabem realmente o que dizem ou falam os economistas da ANFIP e o DIESE?
É UMA VERGONHA, E O PIOR DE TUDO É PEREGRINAR EM HOSPITAIS PÚBLICOS, PARA SERMOS ATENDIDOS QUANDO ADOEÇEMOS.
MAS SERÁ QUE REALMENTE SABEM QUANTO É O CUSTO DE REMÉDIOS E DE ALIMENTAÇÃO SADIA PARA AS PESSOAS APOSENTADAS?
“ ACORDA PEÃOZADA DE SEU ACALENTADO E DEITADO EM BERÇO EXPLENDIDO, ANTES QUE MORRAM TODOS DE INANIÇÃO”
Lucio Cavadas
APOSENTADO RPGS URBANO / PROFESSOR

PAUTA DA CÂMARA II


RESPOSTA DO DEPUTADO ARNALDO FARIA DE SÁ, AO ASSUNTO POR MIM ENCAMINHADO. VIDE APÓS O TEXTO ABAIXO:

PAUTA DA CÂMARA










Câmara confirma segunda semana de esforço concentrado
 
A sessão solene em homenagem a Eduardo Campos também foi confirmada para o dia 2.
A Câmara dos Deputados fará duas sessões deliberativas na primeira semana de setembro: uma no dia 2, às 19 horas, e outra no dia 3, às 9 horas. Os projetos que serão votados ainda não foram definidos e só devem ser acertados em reunião de líderes.

Alguns projetos entraram em discussão na primeira semana de esforço concentrado, em agosto, mas não foram votados por falta de acordo, como o cancelamento da política de participação social do governo federal (PDC 1491/14) e a flexibilização do programa A Voz do Brasil (MP 648/14).
Na semana passada, os líderes do PPS, do DEM e do PSDB apresentaram requerimentos pedindo que sejam colocadas em pauta, além do projeto da participação social e da MP da Voz do Brasil, outras seis propostas polêmicas: a carga máxima de 30 horas semanais para enfermeiros (PL 2295/00); o salário integral para servidores aposentados por invalidez (PEC 170/12); a perda automática de mandato do parlamentar condenado (PEC 313/13); o piso salarial de policiais e bombeiros (PEC 446/09); o fim da cobrança da contribuição previdenciária de aposentados (PEC 555/06); e a extinção do fator previdenciário (PL 3299/08).

Eleições

Tradicionalmente, a Câmara dos Deputados e o Senado realizam duas semanas de esforço concentrado em ano de eleições gerais, uma em agosto e outra em setembro. Entraves políticos podem, porém, impedir as sessões de votação. Em 2010, por exemplo, ano em que houve eleições gerais, a Câmara só conseguiu realizar o esforço concentrado no mês de agosto. Em 2006, houve votações nos dois meses.

Eduardo Campos

A Câmara também marcou para o próximo dia 2, às 15 horas, a sessão solene em homenagem póstuma aos ex-deputados Eduardo Campos e Pedro Valadares, que morreram no último dia 13 em acidente aéreo ocorrido em Santos (SP).

Candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos ocupava o terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. Já Valadares era assessor da campanha do PSB.
Da Redação - ND

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'


Comentários

Antonio oliveira chaves | 25/08/2014 - 09h13
Solenidade não resolve problemas de quem já foi aqui da terra,o que resolve é pedir a Deus para que sexa iluminado,
Antonio oliveira chaves | 25/08/2014 - 09h00
Tem que pagar o povo os votos,com trabalho votando projetos importante para eles,E não ficar engavetando empurrando com barriga para não trabalhar,Mais nos estamos vendo e vamos votar mais não em vocês.
Fátima Christina Portugal Brandão | 24/08/2014 - 02h05
A PEC 170 de 2012 procura de forma justa, coerente e humana, resgatar o respeito, a valorização da dignidade, a auto-estima e o justo direito, de parte de nossos servidores aposentados que,de maneira absurdamente maldosa e irracional,foram discriminados, em virtude da natureza das doenças que culminaram em suas aposentadorias por invalidez. É vergonhoso que, em pleno século XXI, ainda exista tal procedimento vigorando em nossa Constituição Federal. Existem doenças tão ou bem mais graves, penosas e incuráveis que não constam do rol previsto em lei e que igualmente invalidam nossos servidores.

EM VISITA A IDOSOS, AÉCIO PROMETE REAJUSTAR APOSENTADORIAS


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Em visita a idosos, Aécio promete reajustar aposentadorias

Candidato à Presidência pelo PSDB afirma que variação no preço de remédios, inflação oficial e PIB vão embasar aumento de renda de aposentados
Daniel Haidar
O candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), visita o Abrigo Cristo Redentor, em Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro. Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, afirmou neste domingo, no Rio de Janeiro, que vai criar um mecanismo de reajuste para aposentadorias e o benefício de prestação continuada (BPC), pago a maiores de 65 anos com renda per capita familiar inferior a um quarto do salário mínimo. De acordo com o presidenciável, os aposentados terão um aumento anual nas pensões que leve em conta a variação de uma cesta de preços de remédios, além da manutenção da regra de reajuste atual, que acompanha a variação da inflação oficial do ano anterior e do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.
Incorporaremos além do aumento real do salário mínimo, que continuará a ser praticado no nosso governo, um aumento especial para os aposentados levando em consideração, além do índice acertado, também o aumento de medicamentos. Será a primeira sinalização clara de que aposentados e idosos do Brasil começarão a ter tratamento diferenciado”, afirmou Aécio.
Ainda vai ser decidido quais remédios de uso contínuo terão preço monitorado para embasar o reajuste das aposentadorias. A medida foi anunciada em discurso a idosos hospedados no Abrigo Cristo Redentor, que pertence à União, mas hoje é administrado pela Secretaria Estadual de Assistência Social do Rio de Janeiro. No abrigo, Aécio conversou com idosos e visitou as instalações do local. O governo do Rio impediu que jornalistas acompanhassem o momento em que o presidenciável visitou quartos.
Em confraternização com idosos preparada por funcionários do governo estadual, o candidato cantou a música “Amizade Sincera”, de Renato Teixeira, abraçado com a idosa Arlete Severino da Silva. Antes, dançou com Ladir Rodrigues, outra hóspede do abrigo.

Aécio também divulgou o programa “Digna Idade”, que prevê a qualificação de cuidadores de idosos e a criação de asilos públicos.  Os recursos públicos para financiar a melhora das aposentadorias e projetos para idosos virão de uma readequação das prioridades orçamentárias, destacou o candidato tucano. “Recursos virão de um Estado com política fiscal austera que não aumenta os gastos correntes de forma irresponsável como esse governo aumentou. A questão é estabelecer prioridades”, afirmou.
Na nova estratégia do PSDB para diferenciar Aécio da ex-senadora Marina Silva (PSB) na corrida presidencial, os tucanos exploram a “falta de preparo” da concorrente. Sem mencioná-la, o presidenciável tucano afirmou neste domingo: “construímos uma proposta que não é improvisada. Aquilo que defendo hoje eu já defendia lá atrás”.
Título e Texto: Daniel Haidar, Rio de Janeiro, VEJA, 24-08-2014